PUBLICIDADE
Actualidade

Mais de 650 cientistas pedem "verdadeira carreira" em carta aberta a ministro

22 | 02 | 2019   17.16H

Mais de 650 cientistas, incluindo desempregados, bolseiros e contratados a termo, pedem, numa nova carta aberta dirigida ao ministro da Ciência, "uma verdadeira carreira de investigação científica, equilibrada entre as diversas categorias de investigadores".

A carta aberta, hoje divulgada e com conhecimento ao Presidente da República e ao primeiro-ministro, refere que "nesta legislatura as oportunidades para os investigadores-auxiliares, principais e coordenadores foram manifestamente limitadas, tendo sido dada uma ênfase clara aos investigadores juniores, recém-doutorados".

A iniciativa, subscrita por 678 investigadores, incluindo a historiadora Irene Flunser Pimentel, Prémio Pessoa 2007 e com contrato a termo incerto, surge em resposta a declarações do ministro da Ciência, Manuel Heitor, que, ao jornal Público, disse há três semanas que "há pleno emprego" científico em Portugal.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE