Guiné-Bissau/Eleições

Campanha sem barulho é sinal de "medo ou fraqueza"

23 | 02 | 2019   08.46H

O barulho é uma das características das campanhas eleitorais na Guiné-Bissau e fazê-lo é sinal da força dos partidos políticos, até porque a ausência de ruído é sinal de "medo ou fraqueza".

Por estes dias, a cerca de duas semanas das eleições legislativas, os apitos, os tambores, os megafones e os carros com colunas em volume máximo ouvem-se por toda a parte, principalmente na capital, Bissau.

Todos os partidos guineenses têm de ter na sua campanha o maior barulho possível para chamar a atenção, mas também para "chatear a concorrência", como explicam os militantes. Para um candidato ou um partido entrar num bairro tem que ser antecedido de uma ação de 'batedores' com megafones, comprados no mercado do Bandim ou importados da China, a anunciar um comício.

Destak/Lusa | destak@destak.pt