PUBLICIDADE
Campeonato nacional

Os homens de FC Porto e Benfica que fazem a diferença

28 | 02 | 2019   23.19H
FC Porto e Benfica são, indiscutivelmente, as melhores equipas do campeonato e o clássico de amanhã pode ser decidido pela inspiração de um ou outro jogador
João Moniz | jmoniz@destak.pt

Não é de esperar que Sérgio Conceição e Bruno Lage abram muito o jogo na antevisão desta sexta-feira ao clássico de sábado, que até pode ser marcado pelo taticismo face ao caráter decisivo que a partida poderá ter na luta pelo título. Mas o curioso é que as duas equipas deverão apresentar modelos muito semelhantes.

Seja em 4-4-2 ou 4-3-3, dragões e águias deverão apresentar dois médios de maior contenção (Danilo e Herrera no FC Porto, Samaris e Gabriel no Benfica) e um terceiro elemento a fazer a ligação entre o miolo e o ataque na fase ofensiva e pressão alta sobre os defesas contrários no momento defensivo (Óliver ou Otávio no FC Porto, João Félix no Benfica).

Pizzi e Rafa terão lugar garantido no Benfica (embora Cervi dê mais garantias defensivas) e Brahimi deverá ter a companhia de Marega (Soares e Seferovic são indiscutíveis na frente de ataque).

O maliano esteve lesionado, mas é demasiado influente para ficar no banco. O avançado é o jogador do FC Porto que participou em mais golos (12), seja a marcá-los (7) ou a fazer assistências (5). Soares surge logo atrás (10+1=11), mas os dois estão longe dos números de Pizzi (21, entre 8 golos e 13 assistências) ou até Seferovic (15+4=19). Apesar de ter surgido nos titulares bem mais tarde, João Félix tem números respeitáveis (8+4=12)

E se Pizzi lidera esta estatística na Liga quanto aos números totais, o elevado número de golos que o Benfica marca faz com que o peso percentual dessa ação seja mais reduzido. Os 33% de golos em que participa ficam atrás dos 41% de influência de Bruno Fernandes no Sporting, por exemplo. Em termos gerais, esta estatística é liderada por Dyego Sousa, do Sp, Braga (48%) e Marega volta a ser o elemento com maior destaque no FC Porto (26%).

Se a conversa se restringir à média de golos por jogo, ninguém faz melhor do que Bas Dost (0,82). Entre os jogadores que vão estar no clássico, Seferovic (0,75) e Jonas (0,69) suplantam os demais, seguidos por Soares (0,59) ou João Félix (0,53).

Mas se os ataques prometem neste clássico, até poderão ser as defesas a brilhar. A grande dúvida é se Éder Militão volta à lateral direita dos dragões. O brasileiro já demonstrou que é um jogador rápido (importante para lidar com Rafa) e teria maior facilidade em fechar o espaço para os centrais, de forma a contrariar o jogo interior dos encarnados. E seria um acrescento nas bolas paradas, que podem ser decisivas.

Entre o quarteto benfiquista é praticamente certo o regresso de Ferro, sobretudo depois da lesão de Conti. O jovem central renovou contrato até 2023, com uma cláusula de rescisão de 100M€, só atrás dos 120M€ de João Félix e Gedson, e deverá jogar ao lado de Rúben Dias. Até porque Samaris não terá os rins necessários para lidar com Marega ou capacidade aérea para minimizar a ação de Soares.

1 comentário

  • Cá para mim os que fazem a diferença nos Toupeiras e nos Apitos são: paixão da luz, pinheiro manso, capelinha, fabinho, gordinho, huguinho e outras aves raras...
    lampião rabeta | 07.05.2019 | 18.24Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE