Moçambique/Dívidas Ocultas

Corte de financiamento internacional obriga a austeridade até meados da próxima década

17 | 03 | 2019   09.16H

O analista da agência de informação financeira Bloomberg Mark Bohlund considerou hoje que o corte de financiamento internacional a Moçambique vai obrigar o Governo a seguir uma política de austeridade até meados da próxima década.

"Antevemos que o financiamento externo continue baixo a médio prazo, obrigando as autoridades moçambicanas a imprimirem uma política fiscal relativamente apertada até que as receitas do gás natural se concretizem, em meados da próxima década", escreve o economista e analista da Bloomberg Intelligence Mark Bohlund.

Numa análise à economia de Moçambique, divulgada por esta agência de informação financeira, lê-se que "os países doadores provavelmente vão continuar a financiar ajuda a projetos independentemente do orçamento governamental no curto prazo", mas, alerta, "a médio prazo, a ajuda externa provavelmente será redirecionada para países com menores recursos naturais", principalmente no caso europeu, "cuja ajuda deverá ser canalizada para países mais a norte" no continente.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE