Óbito/Graça Dias

O arquiteto que pensava a cidade para as pessoas - Ministra Cultura

25 | 03 | 2019   11.32H

A ministra da Cultura, Graça Fonseca, lamentou hoje a morte do arquiteto Manuel Graça Dias, no domingo à noite, e, deste modo, o desaparecimento de "um pensador da cidade para as pessoas e da arquitetura enquanto disciplina estética".

Em comunicado, a ministra recorda que Manuel Graça Dias abriu, com Egas José Vieira, o atelier Contemporânea, que constituiu "uma das mais influentes assinaturas da arquitetura contemporânea em edifícios públicos que revelam uma preocupação sobre a passagem do tempo enquanto elemento constitutivo de uma relação atenta aos usos diferenciados e às transformações estéticas, sociais e urbanísticas das cidades".

"Devemos-lhe a assinatura de obras como a sede da Associação dos Arquitetos Portugueses (1991), em Lisboa, o Teatro Municipal de Almada (2005), a Escola de Música, Artes e Ofícios de Chaves (2004-2008) e, mais recentemente, a requalificação do Teatro Lu.Ca(2018), em Lisboa", destacou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE