PUBLICIDADE
Crise Académica/50 anos

Décio de Sousa atribui sucesso do movimento ao trabalho realizado junto das faculdades

16 | 04 | 2019   09.01H

O sucesso da crise académica de abril de 1969 na Universidade de Coimbra (UC), que abalou o regime do Estado Novo, começou a ser desenhado em 1965 através de uma estratégia de envolvimento de todas as faculdades.

Cinquenta anos depois da crise, o médico Décio de Sousa, então presidente da mesa da Assembleia Magna da Associação Académica de Coimbra, recordou à agência Lusa o trabalho exaustivo feito depois da crise de 1965, que culminou com a expulsão dos estudantes eleitos nesse ano e a imposição de uma comissão administrativa.

"Na altura, fizemos uma manifestação contra o Governo a pedir autonomia, mas nunca me senti tão mal ao ver os estudantes a saírem das aulas e a olharem para nós com ar de 'quem são estes rapazes' e aí percebemos que estávamos a trabalhar mal", lembrou o antigo presidente do Centro Hospitalar de Coimbra.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE