Actualidade

Investigação ibérica vai criar ferramenta que contribui no diagnóstico do Alzheimer

07 | 05 | 2019   09.00H

Uma ferramenta bioinformática que relaciona a informação de genes da saliva com a atividade elétrica cerebral de doentes com Alzheimer pode vir a auxiliar no diagnóstico precoce desta e de outras doenças neurodegenerativas, segundo um projeto ibérico.

A parceria entre o Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto (Ipatimup) e o grupo de Engenharia Biomédica da Universidade de Valladolid, em Espanha, surgiu há quase dois anos no âmbito do AD-EEGWA, projeto que integra o Programa de Cooperação INTERREG V-A Espanha-Portugal (POCTEP).

Iniciado em junho de 2017, o projeto é financiado em 543.404,47 euros pelo Fundo de Desenvolvimento Regional e por duas entidades que fazem também parte deste consórcio ibérico, a AFA-ZAMORA (Associação de Familiares e Amigos de Doentes de Alzheimer e outras doenças) e a Alzheimer Portugal.

Destak/Lusa | destak@destak.pt