PUBLICIDADE
Actualidade

Comissão da ONU pede suspensão de todos os negócios com exército de Myanmar

14 | 05 | 2019   12.30H

A comissão da ONU que investigou os ataques à minoria muçulmana rohingya em Myanmar (antiga Birmânia) pediu hoje a suspensão de todos os apoios ao exército daquele país para pressionar uma resposta a acusações de genocídio.

Depois de concluir uma visita à região, a comissão chegou à conclusão de que se deve "isolar" os comandantes que conduziram as operações militares contra os rohingya, para que respondam às acusações de violações dos direitos humanos, incluindo de genocídio.

Nenhum dos grandes países do Ocidente vende armas ou apoia diretamente os militares de Myanmar, mas o exército do país detém várias empresas em setores importantes da economia e, em alguns casos, os países ocidentais permitam negócios com essas empresas.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE