Actualidade

Moita Flores acusado de prejudicar patrimonialmente município de Santarém

16 | 05 | 2019   19.47H

O Ministério Público acusa o antigo presidente da Câmara de Santarém de ter causado um prejuízo patrimonial ao município e, com a sua conduta, ter perseguido "finalidades de cariz político e eleitoralista", assegurando Moita Flores que tudo será esclarecido.

Acusado juntamente com o antigo diretor do departamento urbanístico António Duarte da prática de três crimes de prevaricação e ainda (sozinho) de dois de participação económica em negócio, num processo relacionado com a realização de obras em instalações da antiga Escola Prática de Cavalaria (EPC), em Santarém, Francisco Moita Flores disse à Lusa que vai pedir a abertura de instrução.

O ex-autarca afirmou que está ainda "a digerir" a notícia de que foi constituído arguido num processo que considera resultar de um "disparate" que atribui ao seu sucessor, o atual presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (também eleito pelo PSD), autor da participação ao Tribunal de Contas (TdC) dos factos que resultaram na acusação.

Destak/Lusa | destak@destak.pt