Europeias

"Não podemos tolerar os fumos constantes de corrupção" - Rangel

17 | 05 | 2019   22.47H

O cabeça de lista do PSD às europeias considerou hoje intolerável a ideia de que o país "esteve por mais do que uma vez entregue à corrupção", e acusou Costa de admitir cortes nos fundos europeus "por oportunismo eleitoral".

Numa intervenção num jantar-comício na Guarda, Paulo Rangel chamou a atenção para uma prioridade dos sociais-democratas, o combate à evasão fiscal e à corrupção, apontando que há estimativas que apontam que a perda de receitas a nível comunitário com estas práticas "ronda um bilião de euros, sete orçamentos anuais da União Europeia".

"Não podemos tolerar os fumos constantes de corrupção. Não podemos tolerar o que esta semana vimos em revistas e jornais: a ideia de que este país, tal como muitos países na União Europeia, esteve por mais do que uma vez entregue à corrupção, de que há esquemas - uns muito complicados e outros relativamente menores - de tentar retirar recursos públicos para enriquecimentos privados ilícitos e inaceitáveis", acrescentou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt