PUBLICIDADE
Prémio Camões

Companhia das Letras diz que houve "justiça" na atribuição a Chico Buarque

21 | 05 | 2019   22.05H

A Companhia das Letras, maior editora do Brasil, afirmou hoje à agência Lusa que houve "justiça" na atribuição do Prémio Camões 2019 ao músico e escritor brasileiro Chico Buarque, uma escolha que considerou "sábia" por parte dos jurados.

"O Prémio Camões sabiamente julga qualidade e não quantidade. Dessa forma, soube premiar no passado, com toda a justiça, Raduan Nassar e agora Chico Buarque. São autores afins, que trabalham horas a fio cada frase que um dia virá a ser impressa. O prémio deste ano vai para cinco romances magistrais da língua portuguesa e para um artista que usa em vários campos (música, teatro e literatura) a liberdade para a melhor arte e vice-versa", argumentou Luiz Schwarcz, CEO da Companhia das Letras, em declarações enviadas à Lusa, também publicadas na rede social Twitter.

O músico e escritor Chico Buarque é o vencedor do Prémio Camões 2019, foi hoje anunciado, após reunião do júri, na Biblioteca Nacional do Brasil, no Rio de Janeiro.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE