PUBLICIDADE
Actualidade

Monólogo de João Samões no Teatro Carlos Alberto retrata Louis-Ferdinand Céline

26 | 06 | 2019   17.41H

A peça de teatro "O poeta acorrentado à mesa", escrita, encenada e interpretada por João Samões, vai estar em cena de quinta-feira a domingo, no Teatro Carlos Alberto, no Porto, mostrando "uma descrença total na humanidade".

A récita é uma inspiração da vida e obra do escritor francês Louis-Ferdinand Céline, autor de "Morte a Crédito" e "Viagem ao Fim da Noite", cuja escrita é capaz de "fazer tremer toda a vida inteira", e que João Samões transformou numa representação que expressa "uma descrença total na humanidade, na vida e nas pessoas".

Sozinho em palco, sentado à secretária, com uma máquina de escrever e um crocodilo, ao fundo, que surge com o avançar da encenação, João Samões desenvolve uma narrativa em que, não pretendendo "transmitir mensagens, cria objetos que agitem".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE