PUBLICIDADE
Actualidade

Erosão costeira na Figueira da Foz, um problema, três dimensões diferentes

18 | 07 | 2019   05.00H

A erosão costeira que afeta as praias a sul da Figueira da Foz é um problema mais vasto, que reside também na acumulação de areia no areal da cidade e que afeta a navegabilidade na barra do Mondego.

Desde o prolongamento em 400 metros do molhe norte do porto comercial, um investimento de 14,6 milhões de euros, inaugurado em 2011, a erosão nas praias a sul acentuou-se, com destruição da duna de proteção costeira em vários locais, com especial ênfase na praia da Cova, alvo de duas intervenções de emergência nos últimos anos, a última concluída este verão.

Em junho, o Governo anunciou a transferência, por dragagem, de três milhões de metros cúbicos (m3) de areia, de uma zona no mar a norte do molhe norte do porto da Figueira da Foz para combater a erosão das praias a sul e garantir a navegabilidade na barra do rio. O projeto, orçado em 19 milhões de euros, deverá começar em 2020 e o presidente da Câmara, Carlos Monteiro, aplaude a iniciativa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE