PUBLICIDADE
Actualidade

Guiné Equatorial deve "passar das palavras aos atos" na pena de morte -- Portugal

18 | 07 | 2019   20.24H

O ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Augusto Santos Silva, defendeu hoje que é tempo de a Guiné Equatorial "passar das palavras aos atos", face aos reiterados anúncios de abolição da pena de morte, os quais prefere "ver para crer".

A posição foi assumida pelo chefe da diplomacia portuguesa em entrevista à agência Lusa na cidade cabo-verdiana do Mindelo, ilha de São Vicente, na véspera da XXIV reunião ordinária do Conselho de Ministros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que prevê a análise de um projeto de resolução sobre a Guiné Equatorial, na sequência da recente visita a Malabo de uma missão daquela organização.

"Eu sou o ministro dos Negócios Estrangeiros de Portugal há três anos e meio. Há três anos e meio que ouço o meu colega da Guiné Equatorial garantir que está iminente a eliminação da pena de morte. Eu também conheço os termos em que a Guiné Equatorial aderiu à CPLP e os compromissos que assumiu quando foi admitida na CPLP", em julho de 2014, afirmou Augusto Santos Silva, sublinhando que "é ponto de honra para todos os países" da organização "serem contra a pena de morte".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE