PUBLICIDADE
Actualidade

Ministra da Saúde defende que é necessário reorganizar maternidades no país

20 | 08 | 2019   14.24H

A ministra da Saúde, Marta Temido, defende uma reorganização das maternidades do país, sobretudo na zona sul, reconhecendo dificuldades sobretudo nos períodos de férias.

Marta Temido assumiu que há dificuldades nos serviços de obstetrícia sobretudo em Lisboa e Vale do Tejo e na restante zona sul do país, sobretudo decorrentes de períodos de férias de profissionais, no verão e na altura do Natal.

"Nesta época, procurámos garantir que as faltas [de profissionais] são supridas com recurso a prestação de serviço", indicou aos jornalistas à margem de uma inauguração em Lisboa, afirmando que foram autorizadas prestações de serviços médicos que vão além dos valores de referência estabelecidos em termos de pagamento a médicos prestadores de serviço.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • A ministra precisa de médicos enfermeiras assitentes,auxiliares ,maqueiros etc.A reorganização leia-s e fecho e agrupamento vai originar transferencias forçadas para outras unidades e resistência dos profissionais.Com este ambiente não vai captar energias nem outros profissionais para o projeto já q carências são diárias e em todos os serviços quase.Alem disso expressões alegadamente feitas na TV durante greve dos enfermeiros alegadamente infratores e criminosos e a inspeção depois a ORDEM dos ENFERMEIROS a primeira em toda a historia do PAíS dá q pensar q futuras relações com classes da saúde serão sempre polemicas , de desconfiança e desconforto.
    mira | 21.08.2019 | 09.49Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Reorganizar significa fechar serviços.Estes especialistas tem no seu todo entre 10 a 12 anos de formação obrigatória-mestrado 6anos profissionalizantes e primeiro vencimento liquido 1200 00 euros no SNS e o mesmo se passa com anestesistas.No privado ou como emigrantes auferem 10 a 20 vezes mais e estão libertos dos capazes políticos e burocracia estatal.Sao livres exercem fora da ditadura partidocrata .Qual a formação academica da ministra e respetiva classificação e onde foi feita ,em universidade clássica ou de menor reputação?
    Selenio | 21.08.2019 | 09.06Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE