PUBLICIDADE
Actualidade

Infrações detetadas em greves da Ryanair em 2018 deram origem a três participações crime - ACT

22 | 08 | 2019   20.23H

A Autoridade para as Condições do Trabalho quer garantir "de forma inequívoca" o cumprimento da legislação nacional pela Ryanair e refere que as infrações detetadas na greve de 2018 deram origem a três participações crime junto do Ministério Público.

Em declarações à Lusa, a subinspetora-geral da ACT, Fernanda Campos, precisou que a Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) tem estado nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro desde o primeiro dia de greve dos tripulantes de cabine da Ryanair e que vai manter-se no terreno até ao último dia previsto para esta paralisação, 25 de agosto.

"Os processos [inspetivos] estão a decorrer, está a decorrer recolha de indícios, a audição dos trabalhadores e análise dos documentos que nos foram fornecidos", precisou a responsável sublinhando que a ACT está atenta "quer aos motivos subjacentes à convocação desta greve, quer a eventuais violações do direito à greve".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • AH AH AH AH E as condições no próprio Estado, são fiscalizadas? O espeto é de pau de loureiro? Esse é o do Quim Barreiros ...
    Dono dos Burros | 22.08.2019 | 22.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE