PUBLICIDADE
Actualidade

Manifestantes libertam polícias, mas apelam à radicalização de protestos no Equador

11 | 10 | 2019   03.41H

Os polícias detidos por manifestantes antigovernamentais foram libertados na noite de quinta-feira, num dia em que a principal organização indígena do Equador rejeitou o diálogo com o Governo e apelou à radicalização dos protestos.

"Não há diálogo com um Governo assassino", defendeu a Confederação das Nacionalidades Indígenas do Equador num comunicado assinado pelo seu presidente, Jaime Vargas, num momento em que os protestos contra o aumento dos preços do gás já causaram cinco mortos.

Enquanto o chefe de Estado, Lenin Moreno, se mostrava na quinta-feira otimista em garantir um progresso nas negociações, a tensão aumentou quando os manifestantes indígenas anunciaram a 'captura' de dez polícias, que foram finalmente libertados durante a noite.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE