PUBLICIDADE
DGArtes

Bienal de Cerveira lamenta falta de apoios e teme "futuro muito escuro"

11 | 10 | 2019   20.07H

O presidente da Fundação Bienal de Arte de Cerveira (FBAC) lamentou hoje a ausência de apoios da Direção-Geral das Artes para 2020/2021, temendo um "futuro muito escuro" para a bienal mais antiga da Península Ibérica.

"É lamentável que a bienal tenha ficado, mais uma vez, fora dos apoios estatais para as artes. São resultados provisórios, ainda suscetíveis de reclamação, mas, a manterem-se, poderá estar em causa a subsistência a curto/médio prazo da Bienal de Cerveira. Teoricamente, a bienal é muito apoiada quer pelo Governo quer pelas entidades regionais de Cultura, mas depois na prática é o que vemos. O que constatamos é que há todo o apoio moral, apoio financeiro nenhum", disse Fernando Nogueira.

Fernando Nogueira, que é também presidente da Câmara de Vila Nova de Cerveira, no distrito de Viana do Castelo, adiantou que a manter-se a falta de apoios da Direção-Geral das Artes (DGArtes), a bienal "começa a não ter sustentabilidade".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE