PUBLICIDADE
Actualidade

Associativismo português na Alemanha diminuiu e precisa de renovação

12 | 10 | 2019   08.24H

O investigador da Universidade de Colónia, Nélson Pereira Pinto, acredita que o associativismo português na Alemanha, que tem vindo a diminuir, precisa de "renovar-se e desenvolver-se", um desafio para as várias gerações.

"É preciso chamar a atenção dos jovens porque isso é essencial para manter as associações vivas, ou para criar associações. O nosso associativismo também tem muitas perspetivas. Uma delas é juntar-se e colaborar com outras comunidades lusófonas. Outra é chamar a atenção dos alemães. Portugal está na moda e há muitos alemães que também se interessam pela nossa cultura", revela Nélson Pereira Pinto, em entrevista à agência Lusa.

O estudante de mestrado está a trabalhar na tese "Função, Atividades e Influência da Imigração Portuguesa em Colónia" depois de ter notado a carência de investigações nesse sentido.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • Ora foi exatamente em Colónia que mulheres foram abusados por grupos na rua.É natural que quem tem cu tem medo e estas associações hoje em dia tem muito que se lhe diga.Se tivessem interesse estariam á cunha.Os emigrantes terão as suas razoes para não quererem ser assiciados e depois conectados.
    Pereira | 12.10.2019 | 12.50Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Significa que estão mais alemães que portugueses, o que é bom. Podem rasgar o passaporte se é que por acaso o têm. Obrigado.
    Dono dos Burros | 12.10.2019 | 10.46Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE