PUBLICIDADE
Fake News

Especialista defende sanções para promotores de desinformação na UE

12 | 10 | 2019   08.54H

O especialista grego Nikos Sarris, coordenador de um observatório europeu contra a desinformação, defendeu hoje uma "atuação rápida" da União Europeia (UE) contra as notícias falsas, propondo a criação de punições para quem as propague.

"Esta é uma matéria do sistema jurisdicional e as leis, as regras e os regulamentos devem ser adaptados para punir quem propaga desinformação, da mesma forma que alguém que comete um crime é punido", afirmou à agência Lusa o coordenador do Observatório Social de Análise Mediática contra a Desinformação (SOMA, sigla em inglês), Nikos Sarris.

Numa altura em que as notícias falsas estão "em todo o lado e em todos os níveis da sociedade", o especialista vincou que, "em casos que ficar provado que um certo ator atuou, de forma maliciosa, e espalhou 'fake news' [as chamadas notícias falsas], deve ser punido".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • O caça liberdade da informação civil.As tais fake são saudáveis para os MIDIA desse que sejam sempre credíveis.Esta medida pressupõe impor uma verdade única sem contraditório popular.O POVO vota saber o que pensa só em regimes abertos.
    Nucas | 12.10.2019 | 14.18Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Eh pá! Para grego estás atrevido. Olha que o teu país eram só 'fake accounts'. Vê lá não dês um tiro nas patas.
    Dono dos Burros | 12.10.2019 | 10.44Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE