PUBLICIDADE
Moçambique/Dívidas Ocultas

África do Sul diz que imunidade de Chang ainda persiste

16 | 10 | 2019   19.53H

O advogado do Estado sul-africano no caso da extradição do ex-ministro moçambicano Manuel Chang disse hoje à Lusa que a imunidade do antigo governante "ainda persiste" como impedimento para ser processado judicialmente em Moçambique no processo das dívidas ocultas.

"A questão da imunidade ainda persiste em relação ao senhor Chang e se o ministro da Justiça [da África do Sul tivesse sido informado talvez tivesse tomado uma outra decisão", afirmou à Lusa Johan van Schalkyk, numa pausa na audição de hoje no Tribunal Superior de Gauteng, em Joanesburgo, para decidir sobre a revisão da decisão tomada em maio por Pretória de extraditar para Moçambique o seu ex-ministro das Finanças.

"O caso deve regressar ao atual ministro já que o antigo ministro da Justiça não tinha toda a informação ao seu dispor, e por isso deve ser revisto para que todos os factos sejam considerados, particularmente a questão de imunidade", salientou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE