PUBLICIDADE
Actualidade

MP arquivou caso de 2011 alegando que obstetra não violou regras da medicina

18 | 10 | 2019   18.32H

O procurador que arquivou o caso que em 2011 envolveu o mesmo obstetra que não detetou malformações graves num bebé nascido este mês em Setúbal concluiu que não houve violação dos deveres de cuidado ou das regras da medicina.

No despacho final do caso da bebé que nasceu em 2011, no Hospital Amadora-Sintra, com múltiplas malformações físicas e mentais, inclusivamente sem queixo e com as pernas ao contrário, o procurador concluiu pelo arquivamento, explicando que "resulta claramente da consulta técnico-científica do Conselho Médico-Legal que a vigilância da gravidez de assistente cumpriu o protocolo médico adequado e foi conforme as regras técnicas clínicas".

"É inequívoco não ter existido qualquer violação de deveres de cuidado que se impunham aos médicos denunciados ou a violação das 'leges artis' [regras próprias] da medicina", lê-se no despacho final, de 2013, a que a Lusa teve acesso.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Fosse um processo que desse para tentar derrubar o Governo do PS e o despacho seria outro. Somos PORTUGAL! Aquele país em que a troco de dinheiro, qualquer mafioso aqui pode assentar arraial.
    Dono dos Burros | 18.10.2019 | 20.47Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE