PUBLICIDADE
Guiné-Bissau

Liga dos Direitos Humanos acusa PR de tentativa de instrumentalização de forças de segurança

08 | 11 | 2019   10.23H

A Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) denunciou hoje o que considera uma tentativa de instrumentalização política das forças de defesa e segurança por parte do Presidente da República guineense, considerando que configuram uma "afronta à democracia".

"A confirmação oficial de tentativas de instrumentalização das forças de defesa e segurança, como arma de arremesso político, para a execução de decretos presidenciais manifestamente ilegais e absurdos, tornadas públicas pelo próprio Presidente da República, José Mário Vaz, num comício popular, consubstanciam uma afronta à democracia", adianta a Liga, numa publicação na sua página na rede social Facebook.

A LGDH aludia a declarações públicas do chefe de Estado e recandidato às eleições presidenciais de 24 de novembro que, durante um comício de campanha, em Nhacra, afirmou ter percebido que há uma divisão entre os militares, a polícia e a Guarda Nacional, que poderia levar a um conflito armado no país.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE