PUBLICIDADE
Actualidade

Descarga poluente em praia de Matosinhos veio da refinaria e deveu-se a uma "anomalia"

08 | 11 | 2019   19.31H

A descarga de produtos poluentes na Praia do Aterro, em Matosinhos, a 26 de outubro, teve origem na refinaria da Galp e deveu-se a uma "anomalia" confirmou a empresa à câmara local, depois de esta ter pedido explicações.

"A Galp confirmou que, devido às condições meteorológicas adversas verificadas nesse dia [26 de outubro], o sistema de águas residuais misturou-se com o sistema de águas pluviais", adiantou a autarquia, depois de questionada pela Lusa.

A 28 de outubro, a presidente da câmara, Luísa Salgueiro (PS), revelou, durante a reunião do executivo municipal, ter pedido esclarecimentos à Galp pela "descarga de produtos poluentes de hidrocarbonetos", repudiando a situação e exigindo o apuramento dos responsáveis.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • E... pergunto eu: deveu-se a uma "anomalia" normal... ou... a uma "anomalia" anormal? Aí é que está a diferença!
    anónimo | 08.11.2019 | 20.53Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Ai a minha ...! Mas esta gente não tem, nada que fazer? Claro que foi anomalia e que foi dali. Mas esta gente achava que tinha caído do céu ou que foi de propósito? Se soubessem o que é trabalhar não andavam, a inventar e a empatar quem trabalha. E já agora podem aprender a escrever títulos. É anomalia e não "anomalia". Ou estão a receber dinheiro para divulgar fake-news?
    Dono dos Burros | 08.11.2019 | 20.33Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE