PUBLICIDADE
Hong Kong

Portugueses e lusodescendentes temem criação de "geração amaldiçoada"

17 | 11 | 2019   06.35H

A rápida polarização dos protestos em Hong Kong apanhou de surpresa os portugueses e lusodescendentes, que temem ter sido criada uma "geração amaldiçoada" com os problemas sociais da cidade, incluindo o elevado custo de vida.

Foi na segunda-feira que a portuguesa Georgine Leung teve o primeiro contacto direto com os protestos que há mais de seis meses afetam Hong Kong. "Estava a voltar para casa com a minha filha de sete meses no carro quando jovens vestidos de preto começaram a montar barricadas" perto do aeroporto, recordou a jovem nascida em Hong Kong.

"Alguns transeuntes e também o meu marido começaram a remover as barricadas, mas eles rapidamente as voltavam a montar. A forma como eles estavam dispostos a parar o trânsito, mesmo pondo em perigo a sua própria segurança, para defender a sua causa, era assustadora", disse à Lusa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Temem? Então fiquem sentados à espera para ver o que vai acontecer. Toda essa corja de traidores, manipulados pelos tigres de papel ingleses e americanos, não vão ser ninguém na Grande CHINA. Quando quiserem apanhar um avião ou um comboio, vão ver-lhe barrada a entrada porque estão no index dos cidadãos com um péssimo registo social e que representam uma ameaça à Harmonia na Sociedade Chinesa. Quanto ao emprego, sempre poderão trabalhar na recolha de lixo e pouco mais. Estão com sorte, porque os campos de reeducação já não são utilizados, mas deviam ser.
    Dono dos Burros | 17.11.2019 | 14.05Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE