PUBLICIDADE
Hong Kong

Lusodescendentes com 'um olho' no estrangeiro

17 | 11 | 2019   06.35H

Após seis meses de protestos em Hong Kong, os lusodescendentes ainda não desesperam, disse o presidente do Club Lusitano, Patrick Rozario, uma vez que a grande maioria detém um passaporte estrangeiro que lhes permitiria emigrar.

O cônsul-geral de Portugal em Macau e Hong Kong, Paulo Cunha Alves, disse na quarta-feira à Lusa que existem "cerca de 20.000 indivíduos em Hong Kong com passaporte português", sendo que apenas "entre 500 e 1.000 serão portugueses expatriados".

A maior parte são lusodescendentes, que começaram a chegar à cidade assim que foi fundada pelos ingleses, há quase 180 anos. O potencial de Hong Kong atraiu não apenas macaenses, mas também, mais tarde, membros da então numerosa comunidade portuguesa em Xangai.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE