PUBLICIDADE
Óbito/José Mário Branco

Vozes na luta lembram que "A cantiga é uma arma" na Voz do Operário

20 | 11 | 2019   20.14H

A música "A cantiga é uma arma" foi hoje interpretada na Voz do Operário, em Lisboa, onde está a decorrer o velório do músico José Mário Branco.

A canção foi interpretada 'a capella', de forma espontânea e emotiva, por vários músicos que pertenceram ao Grupo de Ação Cultural (GAC) - Vozes na Luta, que na década de 1970 a gravou, com letra de José Mário Branco.

No salão nobre da Voz do Operário, decorado com cravos vermelhos, o coro estendeu-se a algumas dezenas de pessoas que por lá passaram para uma última homenagem e terminou com um aplauso.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Por estas e por outras custa-me acompanhar a "esquerda". Fazer a REVOLUÇÃO está de gesso. Cantorias e cravos. Claro que assim não íamos lá. Tirando a PM, quem é que se chegou à frente? Jerónimo conta lá, onde eram as covas onde ficaram escondidos?
    Dono dos Burros | 20.11.2019 | 20.59Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE