PUBLICIDADE
Operação Marquês

Mário Lino nega instrumentalização de Sócrates

02 | 12 | 2019   21.20H

Mário Lino, ex-ministro das Obras Públicas no Governo de José Sócrates, negou hoje em tribunal que o antigo primeiro-ministro o tenha instrumentalizado na adjudicação do comboio TGV e desejou que se faça justiça na Operação Marquês.

A testemunha, arrolada pela defesa do antigo primeiro-ministro José Sócrates, esteve mais de três horas a ser interrogado e respondeu sobre os assuntos nos quais o seu nome é referido no processo, nomeadamente a construção de uma linha de TGV (Poceirão/Caia), os contratos de construção com a Venezuela e a Oferta Pública de Aquisição da Sonae sobre a PT.

À saída, Mário Lino disse aos jornalistas que tinha estado no tribunal "para repor a verdade e para que fosse feita justiça" e que esclareceu tudo o que lhe tinha sido perguntado.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • É verdade, não há um com ponta de vergonha. Mas que grande quadrilha é esta rotulada de XUXA.
    gatunagem | 03.12.2019 | 11.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Imaginem que isto dava na TV e que eu me sentava em frente aquela coisa, a comer pipocas? Imaginam o problema ambiental que se criava? As florestas que tinham que ser derrubadas, para se plantar milho? Pois! Era como os bio-combustíveis, sem tirar nem por.
    Dono dos Burros | 03.12.2019 | 00.19Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE