PUBLICIDADE
Venezuela

Jurista portuguesa preside comissão da ONU que vai investigar tortura

03 | 12 | 2019   00.39H

A Organização das Nações Unidas (ONU) anunciou na segunda-feira que a jurista portuguesa Marta Valiñas presidirá a Comissão de Apuramento de Factos, que vai investigar abusos ocorridos desde 2014, na Venezuela, quando começaram os protestos antirregime.

"O presidente do órgão [Conselho de Direitos Humanos], Coly Seck, nomeou a especialista em direitos humanos portuguesa Marta Valiñas presidente da Comissão, que também vai contar com o advogado criminal chileno Francisco Cox Vial e com um diretor do Instituto Europeu para a Paz, Paul Seils, do Reino Unido", publicou a ONU, na segunda-feira, na sua página na Internet.

Segundo as Nações Unidas, a Comissão investigará "os relatos de execuções sumárias, prisões arbitrárias, desaparecimentos forçados, tortura, maus-tratos e formas cruéis e desumanas de tratamento" a venezuelanos.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE