PUBLICIDADE
Actualidade

Carris lançou em Lisboa primeira carreira com autocarros a biodiesel

12 | 12 | 2019   12.03H

A Carris e a PRIO lançaram hoje, em Lisboa, a primeira carreira de autocarros a biodiesel, produzido a partir da reciclagem de óleos alimentares usados, para reduzir em 83% as emissões de gases de efeito de estufa.

Em comunicado, a empresa de transportes públicos de Lisboa adianta que seis autocarros da Carris, que asseguram todos os dias o percurso da carreira 702, entre a Serafina e o Marquês de Pombal, já estão a circular com o biocombustível (B100) produzido na fábrica da Prio no Porto de Aveiro.

A iniciativa está inserida no projeto "Movido a Biodiesel" que visa promover a "utilização deste tipo de combustível, permitindo reduzir quase integralmente as emissões de dióxido de carbono (CO2 equivalente) sem necessidade de avançar com qualquer alteração aos motores dos veículos".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Quantos quilómetros de linhas para os eléctricos foram arrancados desde o 25A (de 1974)? Biodiesel? Vamos roubar terrenos à agricultura, para produzir girassol, que vai acabar por sair pelo tubo evacuador do autocarro da Carris? Só podem estar a gozar com a cara de todos nós. Mas entende-se, devem ser daqueles pipis nascidos e criados na cidade de Lisboa, com calças pelo artelho e sapatoca de sola branca. É que nem se trata de "movidos a gás natural". Biodisel? Acham que são meia dúzia de litros de óleo Fula (eu pessoalmente uso Vaqueiro) que chegam? Em vez de andarem a criar pistas em cima dos passeios, pondo em risco a segurança de todos, adultos, crianças e velhos, para panascóides andarem a abanar as bundas de bicla e trotinete, criem corredores nas vias de circulação, só para eléctricos. Acabem com aquela javardice que é o corredor de eléctricos na 24 de Julho estar aberto a toda a escumalha, refiro-me concretamente aos carros dos ministérios e das polícias do cangaço. Basta estar 15 minutos em frente à estação do Cais do Sodré para ficarmos com uma extensa listas de carros da bófia descaracterizados, nem são precisos os serviços do hacker Rui Pinto para saber quem é quem nesta terriola. Criem mais linhas de eléctricos, ficavam mais baratas as manutenções do material, sempre poluem menos, que para mim é igual ao litro.
    Dono dos Burros | 12.12.2019 | 13.55Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE