PUBLICIDADE
Actualidade

Governo quer colmatar "o mais rápido possível" as dificuldades na descentralização

14 | 01 | 2020   14.08H

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública salientou hoje, em Coimbra, que o roteiro da descentralização do Governo serve para ouvir as dificuldades dos autarcas e para as colmatar o "mais rápido possível".

No final de uma reunião com a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra, Alexandra Leitão referiu que a transferência de infraestruturas e de funcionários no setor da Educação, além dos acertos de verbas, foi a dificuldade mais salientada pelos autarcas hoje presentes no encontro.

Aos jornalistas, a governante disse ainda que o Governo está a trabalhar para cumprir o calendário definido para a descentralização e para que o processo seja "participado e por vontade".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Fico estupefacto com este socialismo SALAZARISTA.Salazar tambem tentou por exemplo ns redes de destribuiçao eletrica e,nas escolas pr´márias inclusivé nas residenciais-havia habitaçao no edificio escolar para professores e nâo resultou.As escolas edificios etc voltaram a depender do governo central e as dedes de destribuiçao passaram de particulares,para as camaras e das camaras parao o estado e do estado para grupos de prvados.Será que nao aprendem com a história???Ou vamos viver em circulos alternativos e sempre iguais.A descentralizaçao é um passo imterm´dio da regionalizaçao que foi rejeitada em referendoSou abertamemente a favor de 2 regioes,uma a Norte de Leiria terra dos antepassados de Mario Soares e outra acima que incluiria todo o território acima Leiria.A criaçao de mais regioes é uma aberraçao e se a atual democracia tem custos o governo regional nao tem?Quis a diminuiçao de politicos das juntas e camaras ou somamos maios dois ou três governos ás estruturas dispendiosas que temos'?Os mouros que fiquem independentes do território de D Afonso Henriques e do FCP.
    Dulce | 14.01.2020 | 14.37Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE