PUBLICIDADE
PSD

Montenegro espera que anulação do sufrágio na Madeira não suscite dúvidas sobre resultados

18 | 01 | 2020   16.46H

O candidato à liderança do PSD Luís Montenegro afirmou hoje estar "confiante" numa vitória na segunda volta das diretas do partido e espera que a anulação do sufrágio no PSD/Madeira não suscite "dúvidas" no "resultado final".

"Estou muito confiante e muito tranquilo. A campanha foi uma campanha longa, tive sempre o cuidado de fazer o maior número de sessões e de encontros com os militantes para poder esclarecer os meus propósitos, as minhas ideias, as minhas convicções e as orientações estratégicas que pretendo para o PSD. Fi-lo sempre com elevação, sem atacar ninguém", disse Montenegro.

O antigo líder parlamentar do PSD chegou às 15:20 à Junta de Freguesia de Espinho, no distrito de Aveiro, acompanhado pela mulher, e antes de exercer o seu direito de voto cumprimentou os militantes do partido que o aguardavam.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

2 comentários

  • Ah ah ah ah ah. Cada dia que passa, aprendo sempre algo de novo. Os 600 milhões, eu ainda consigo entender. Agora a "extrema-esquerda"? Lendo, pensei que Nikolai Ivanovich estivesse de volta. Mas não, Bukharin não está entre nós. Talvez a Primeira Internacional tenha sido reactivada e a sua bandeira rubro-negra ondule nas mãos dos trabalhadores. Parece que também não. Só vejo telemóveis, diria o marujo no cesto da gávea da nau Catrineta. Telemóveis a que atribuem inteligência. Um roubo é um roubo. Pode é ter desculpa. Se for cometido por um esfomeado, uma maçã ou um naco de pão, não são roubo, por muito que o Capitalismo berre. Um roubo cometido pelo Estado é um roubo agravado, porque o é, apoiado numa organização repressiva - a polícia. Se o PSD teve pruridos, que não incomodaram o partido "socialista", só lhe fica bem esse rebate de consciência. Antes tarde, que nunca.
    Dono dos Burros | 18.01.2020 | 21.27Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
  • Anarca militante irreverente com repulsa por qualquer PODER ou VISAO PARTIDÀRIA ,NACIONAL ou INTERNACIONAL mas tendo que viver neste mundo hostil e esclavagista nao posso deixar de ver o ridiculo das pretensas discussoes ou diferenças intrapartidárias ou intra partidos que nao conseguem definir um modus operando para o País ou o MUNDO promovendo bem estar e respeitando as diferenças.Isto tudo a respeito de tudo em gearl e de forma particular como o PSD após 2015 desertou e nao se desculpou dos erros cometidos e dos que se propunha cometer--a estória dos 600 milhoes a pilhar aos pensionistas e o colaboracionismo com extrema esquerda no caso dos professores demonstra que nao apareceu alegadamente ninguém á altura da chefia deste partido.
    Vicente | 18.01.2020 | 18.04Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE