PUBLICIDADE
Actualidade

Mulheres juízas pedem para não serem prejudicadas na carreira por serem mães

20 | 01 | 2020   07.05H

A nova Associação das Juízas Portuguesas vai pedir ao Conselho Superior da Magistratura (CSM) que as mulheres não sejam prejudicadas na progressão na carreira por se ausentarem para serem mães.

A associação liderada por Paula Ferreira Pinto reúne-se pela primeira vez esta terça-feira com o presidente do Conselho Superior da Magistratura, António Joaquim Piçarra.

Paula Ferreira Pinto disse à agência Lusa que além deste encontro e de outros com os grupos parlamentares, o objetivo da associação é fazer "um verdadeiro levantamento de todas as situações para depois fazer propostas", mas para já "há um problema com as licenças de maternidade".

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Pergunte-se a um licenciado em direito, pode até ser um daqueles bacharéis de que falava Eça, o que é a Justiça. E todos, até o cábula, Alberto João, dirão que não sabem o que é. Quando as oficiais de um ofício, têm que vir para a praça pública lamentar-se, como qualquer empregada de caixa num supermercado explorado por um judeu capitalista, ficamos esclarecidos sobre o que é a JUSTIÇA. Alguns acham que os juízes aplicam a Lei e quando as coisas não correm como eles querem, a culpa é da Lei. Pelos vistos parece que assim não é.
    Dono dos Burros | 20.01.2020 | 13.37Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE