PUBLICIDADE
Actualidade

Arménio Carlos quer voltar às origens após sair da CGTP

27 | 01 | 2020   05.04H

Arménio Carlos deixa de ser secretário-geral da CGTP em 15 de fevereiro, após oito anos de liderança, e pretende voltar ao seu local de trabalho, a Carris, porque quer mostrar que não é diferente dos outros trabalhadores.

Após cerca de 35 anos de dedicação exclusiva ao sindicalismo, o secretário-geral da Intersindical prefere voltar ao seu posto de trabalho, como eletricista, do que reformar-se de imediato, apesar de a sua carreira contributiva de 46 anos lho permitir.

"Vou-me apresentar na Carris depois do congresso da CGTP, porque decidi que quero voltar à minha empresa e mostrar que, independentemente das responsabilidades sindicais que tive, vou voltar às origens, vou regressar como operário chefe", disse o sindicalista em entrevista à agência Lusa.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE