PUBLICIDADE
Actualidade

Tecnologia não invasiva pode vir a ajudar casos de epilepsia mais complicados

16 | 02 | 2020   17.22H

Um sofisticado dispositivo tecnológico desenhado em Espanha pode vir a comprovar-se como terapia alternativa contra os casos de epilepsia mais complicados, os que não respondem a tratamentos farmacológicos.

Após superar várias fases experimentais, a empresa espanhola Neutronics já tem a autorização da agência do medicamento dos Estados Unidos (FDA) para realizar um ensaio clínico com 140 pacientes e demonstrar a eficácia dessa nova tecnologia na redução de crises epiléticas.

É o primeiro passo num campo - o da estimulação craniana não invasiva e de alta definição - que se propõe como terapia cerebral personalizada e que no futuro pode ser utilizada para diagnóstico e tratamento de doenças neurológicas ou transtornos cognitivos.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE