PUBLICIDADE
lisboa

Câmara cede cinco terrenos para centros de saúde

14 | 09 | 2009   17.43H

O direito de superfície dos terrenos é cedido pela autarquia à Administração Regional de Saúde por 99 anos para a construção de edifícios concebidos especificamente para prestarem cuidados de saúde.

De acordo com a proposta que o vereador das Finanças, Cardoso da Silva (PS), leva à reunião do executivo municipal, o terreno municipal cedido para construir o centro de saúde da Boavista, situado na Rua Rainha Dona Brites, na freguesia de Benfica, tem uma área de 1.813 metros quadradosn e um valor patrimonial tributário de mais de 221 mil euros.

Com um valor estimado em 499 mil euros, o terreno para a construção da unidade de saúde de Belém situa-se na Rua dos Cordoeiros, ocupando 1.775 metros quadrados.

Para a construção da unidade de saúde do mercado de Campolide, a autarquia cede um terreno de 2.427 metros quadrados, na Rua General Taborda, na freguesia de São Sebastião da Pedreira, com um valor estimado em 852 mil euros.

A unidade de saúde do Montinho de São Gonçalo será construída num terreno municipal de 2.200 metros quadrados, situado na Rua António Dacosta, na freguesia da Ameixoeira/Charneca, com um valor estimado em 455 mil euros.

Em Carnide, a unidade de saúde será instalada num terreno com 4800 metros quadrados, na estrada da Correia, com um valor estimado 1,9 milhões de euros.

Os terrenos foram validados pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, que concluiu que apresentavam as “características adequadas à função a que se destinam, quer em termos de dimensão, quer de localização face à área de abrangência dos centros de saúde”.

A carta de equipamentos de saúde, elaborada este ano pelo pelouro da Acção Social, tutelado pela vereadora Ana Sara Brito (PS), apontou para a necessidade de novas unidades nas áreas de influência dos centros de saúde de Benfica, Lumiar, Sete Rios, Olivais, Marvila, Ajuda e Alameda.

O documento concluía como passíveis de avançar de imediato as unidades no Parque das Nações, no Montinho de S. Gonçalo (Alta de Lisboa), em Carnide, Benfica (Rua Rodrigues Migueis), Campolide, Pedrouços, Vale da Ameixoeira e no Bairro da Boavista.

A carta de equipamentos de saúde apontou também para a necessidade de criação de mais de 1.500 camas ou lugares em unidades de cuidados continuados.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Isto é que são Cambras, carago?....Inté que parece que tem "biciqueletas...de fajer" dinheiro...Co(i)utadas...!
    Ácido Clorídrico | 14.09.2009 | 20.21Hver comentário denunciado
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE