PUBLICIDADE
Guiné-Bissau/Eleições

Presidente do parlamento acusa número dois de crime de "usurpação"

26 | 02 | 2020   20.52H

O presidente da Assembleia Nacional Popular (ANP) da Guiné-Bissau, Cipriano Cassamá, acusou hoje o vice-presidente do parlamento, Nuno Nabiam, de crime de "usurpação de competências", punível na lei penal do país.

"Tendo em conta a impossibilidade do presidente da Assembleia Nacional", Nuno Nabiam, que é também presidente da Assembleia do Povo Unido - Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB), reuniu hoje a comissão permanente e marcou uma sessão especial do parlamento para quinta-feira, para a tomada de posse do candidato dado como vencedor das eleições presidenciais pela Comissão Nacional de Eleições, Umaro Sissoco Embaló.

Num comunicado, enviado hoje à agência Lusa, Cipriano Cassamá recorda que está no país "em uso das suas faculdades mentais e em pleno exercício das suas funções" e que já tinha dito a Nuno Nabian de que este não tinha "competências de conferir posse ao Presidente da República e muito menos dirigir as reuniões dos órgãos internos da assembleia com o presidente no país".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE