PUBLICIDADE
Actualidade

Defesa de ex-Presidente brasileiro Lula da Silva alega que Odebrecht adulterou provas

29 | 02 | 2020   01.42H

A defesa do ex-Presidente brasileiro Lula da Silva alegou, na quarta-feira, que as provas do chamado "setor de operações estruturadas" da construtora Odebrecht, sobre supostos subornos do antigo mandatário, foram adulteradas.

Os advogados de Lula da Silva anexaram as supostas irregularidades, uma possibilidade admitida por peritos da Polícia Federal, às alegações finais do processo da Lava Jato, relacionado com a compra de um terreno para o Instituto Lula.

No documento, datado de quarta-feira e entregue na 13.ª Vara Federal de Curitiba, a defesa do histórico líder do Partido dos Trabalhadores (PT) contraria a versão apresentada pela Polícia Federal (PF) de que os arquivos utilizados na denúncia contra Lula foram diretamente copiados dos sistemas "MyWebDay" e "Drousys", localizados na Suíça, e utilizados pelo departamento de operações estruturadas da Odebrecht.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE