PUBLICIDADE
Amália

Mega projecto integra 12 CD/Livro e biografia em BD

21 | 09 | 2009   18.06H

"Amália nossa" pretende "trazer ao público, de uma forma inovadora, o legado extraordinário" da fadista, explicou João Pinto de Sousa, da Tugaland, que chancela o projecto.

Pinto de Sousa sublinhou à Lusa que se trata de uma "aposta forte e ousada", quando passam dez anos sobre a morte da "maior referência do Fado de sempre e para sempre".

O projecto que inclui a edição de 12 CD/Livros "a preços democráticos", com textos de Rui Vieira Nery e Vasco Graça Moura, uma antologia poética, uma exposição, uma edição limitada em vinil, e a biografia em três álbuns de Banda Desenhada, é apresentado quarta-feira no Museu do Fado, um dos parceiros do projecto, tal como o Museu Berardo, a Fundação Amália, a Rádio Amália e a RTP.

O projecto discográfico de 12 CD/Livros refere-se aos primeiros 15 anos de gravações de Amália, que o musicólogo Rui Vieira Nery intitulou "a primeira era de ouro".

"Na prática é a Amália pré [Alain] Oulman", sintetizou Pinto de Sousa.

Os textos de Rui Vieira Nery "fazem o guia de audição, e análise musicológica, e de carreira da artista", e os de Vasco Graça Moura "uma análise poética".

Os 12 CD/Livro correspondem a outros tantos temas, entre eles, "Paixão", "Ciúme", "Abandono", "Sina", "Ao vivo", "Salero", "Mundo", "Lisboa". Cada capa é ilustrada por um artista que a partir dos textos do poeta e do musicólogo e da audição dos temas, "criaram dando um cunho contemporâneo".

Os ilustradores escolhidos são Pedro Brito, Inês Casais, Jimi, João Moreno, Daniel Lima, Fernando Martins, João Fazenda, André Carrilho, Maria João Worm, Nuno Saraiva, Vasco Gargalo, e Patricia Romão.

"Seduzir as novas gerações e novos públicos" é uma das apostas da Tugaland, que irá explorar "novas redes de distribuição" ao colocar os CD/Livro à venda através de um jornal diário, a partir de 29 de Setembro, e também em lojas dos CTT e em alguns postos de combustíveis.

Doze outros artistas plásticos criaram peças a partir dos 12 temas que titulam os CD, e a partir das quais a designer Maria João Ribeiro, também da Tugaland, fez a ilustração das capas para uma colecção limitada dos 12 títulos em vinil, que estará disponível apenas na FNAC.

"Os doze olhares contemporâneos sobre Amália" integrarão a exposição patente no Museu Berardo, "Coração independente". "Teremos um núcleo dentro dessa exposição que se intitulará, precisamente, 'Amália nossa'", explicou Pinto de Sousa.

Os artistas convidados são João Pedro Vale, Ana Rito, Catarina Saraiva, Adriana dos Molder, Bruno Pacheco, Sofia Leitão, Pedro Barateiro, João Onofre, Gabriel Abrantes, Rita GT, Pedro Gomes e Isabel Simões, abrindo a exposição ao público dis 06 de Outubro.

Também com saída prevista em Outubro estão três álbuns em Banda Desenhada de Nuno Saraiva que "se apaixonou pelo fado" e faz uma biografia da fadista "com uma introdução ficcionada, mas com a consultadoria história da directora do Museu do Fado, Sara Pereira, e de Rui Vieira Nery".

"Há no Nuno Saraiva aquele cunho interessante de ficção e de humor, mas seguindo um trajecto sociológico e político, além do toque sensualidade/erotismo habitual no seu traço", explicou Pinto de Sousa.

Também para Outubro está prevista "a antologia completa com todos os poemas que Amália cantou", organizada por Américo Lourenço, administrador da Fundação Amália, e pela antiga secretária da fadista Estrela Carvas, que recentemente editou as suas memórias de convivência com a criadora de "Ai, Mouraria".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE