PUBLICIDADE
Covid-19

Cerca de 150 profissionais da saúde detidos em protesto no Paquistão

06 | 04 | 2020   14.55H

Cerca de 150 médicos e outros profissionais de saúde foram hoje detidos pela polícia enquanto protestavam contra a falta de material de proteção para lidar com o novo coronavírus nos hospitais de Quetta, no sul do Paquistão.

"Fomos espancados como terroristas como recompensa pelos nossos serviços", disse Yasir Khan, presidente da Associação de Jovens Médicos da província do Baluchistão, da qual Quetta é capital, numa conferência de imprensa após o protesto.

As televisões paquistanesas transmitiram imagens de polícias a atacar com cassetetes os profissionais de saúde, mobilizando-os à força e colocando-os em carrinhas da polícia.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Maravilha. Tudo para a choldra. Costa, olha o teu primo, já deu o passo que tu receias dar. Só tens que fazer como os soviéticos em Tchernobil, avancem mesmo sem máscaras que a Pátria exige o sacrifício, podem já levar ao peito a ordem da Estrela Vermelha (cá dás a do Benfica). Quem der um passo à retaguarda é abatido pela polícia do Béria (aqui escreves o nome do teu carniceiro).
    Dono dos Burros | 06.04.2020 | 15.29Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE