PUBLICIDADE
Covid-19

Dois milhões de máscaras furtadas em Espanha podem ter sido vendidas em Portugal

06 | 04 | 2020   18.13H

Um empresário de Santiago de Compostela foi detido por alegadamente ter furtado dois milhões de máscaras e outro material médico de um armazém da Galiza, suspeitando a polícia espanhola que o seu destino foi Portugal.

A agência EFE, que cita fontes policiais, avança que o equipamento médico e sanitário furtado, essencial para a proteção contra o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, está avaliado em cinco milhões de euros e foi adquirido por uma empresa portuguesa que conhecia a proveniência do material.

O empresário de Santiago de Compostela foi ouvido no sábado por um juiz do Tribunal Superior de Justiça da Galiza, e saiu em liberdade, mas continua a ser investigado pelas autoridades por ter furtado de uma empresa material médico no valor de cinco milhões de euros.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Olha estes! Ladrão em Portugal só conheço os políticos, os banqueiros, os gajos da PIDE-AT e os polícias, e não estou a ver nenhum desses a fazer esse trabalho de revenda, aquilo é gente de grandes números, preferem trabalhar com avenças. Por exemplos sabem-me dizer quantas empresas de entregas de mercadorias pagaram mulatas por excesso de velocidade, mau estacionamento, and so on ... ? Não sabem, nem eu. Mas acho que se houve uma, foi porque ainda não tinha pago o dízimo. Se foram roubadas e sabem o número de série é fácil ver que não estão aqui. kkkkkkkkk! Só perde quem tem. Siga!
    Dono dos Burros | 06.04.2020 | 19.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE