PUBLICIDADE
Actualidade

Amnistia alerta para abusos, intimidação e detenções arbitrárias na Guiné Equatorial

08 | 04 | 2020   01.02H

A Amnistia Internacional (AI) alertou hoje, no seu relatório sobre os direitos humanos em 2019, para casos de abusos, intimidação e detenções arbitrárias na Guiné Equatorial, apontando ainda uma "total falta de independência" do setor judicial face ao Governo.

 No relatório "Direitos Humanos em África", hoje divulgado, a AI assinala que "abusos, intimidações e detenções arbitrárias de defensores e ativistas dos direitos humanos continuaram", enquanto "os direitos da liberdade de expressão e associação foram constantemente estrangulados".

A organização de defesa dos diretos humanos regista as detenções de ativistas, como Joaquín Elo Ayeto, também conhecido como 'Paysa', que esteve detido durante quase um ano por suspeitas de "ter informações sobre um plano para assassinar o Presidente", Teodoro Obiang Nguema, tendo sido sujeito a tortura enquanto esteve preso.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE