PUBLICIDADE
Codiv-19

Trabalhadores transfronteiriços do Planalto Mirandês pedem corredor na fronteira

25 | 05 | 2020   19.02H

Os trabalhadores transfronteiriços do Planalto Mirandês pediram hoje ao Governo a abertura de um corredor numa das três fronteiras deste território para evitar deslocações que rondam os 400 quilómetros diários para trabalhar em ambos os lados da fronteira.

"Há casos de trabalhadores independentes ou por conta de outrem que há mais de dois meses e meio estão em casa para não terem de percorrer cerca de 400 quilómetros diários, em ambos sentidos, já que a fronteira mais próxima está em Quintanilha, no concelho de Bragança", contou à Lusa Eva Sales, uma advogada portuguesa a residir em Fermoselle (Espanha) com escritório em Mogadouro (Bragança).

O Planalto Mirandês tem três fronteiras com Espanha que ligam os territórios raianos de Mogadouro/Fermoselle, Miranda do Douro/Torregamones e Vimioso (Três Marras)/Alcanices que se encontram encerradas desde março, devido pandemia provocada pela covid-19, sendo que a única aberta à circulação para estes trabalhadores é a de Quintanilha, que dista cerca de 200 quilómetros destas localidades.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE