PUBLICIDADE
Hong Kong

Lei da segurança nacional é "atestado de óbito" -- movimento pró-democracia

29 | 05 | 2020   05.48H

O movimento que liderou os maiores protestos pró-democracia em Hong Kong em 2019 afirmou hoje à agência Lusa que a lei da segurança nacional que Pequim decidiu impor é um "atestado de óbito" para o território.

"É um atestado de óbito à autonomia de Hong Kong, garantida pelo princípio 'Um país, dois sistemas'", defendeu o vice-coordenador da Frente Cívica de Direitos Humanos (FCDH), que representa mais de uma dezena de partidos e organizações não-governamentais.

"A comunidade internacional reconhece as experiências das pessoas em Hong Kong de que não se pode confiar mais no Estado de Direito e na independência judicial na cidade", acrescentou Eric Lai, do movimento que, segundo estimativas próprias, foi responsável por manifestações que, no ano passado, levaram à rua um milhão de pessoas em 09 de junho, dois milhões em 16 de junho e 1,7 milhões em 18 de agosto. Esta última tinha sido proibida pela polícia.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE