PUBLICIDADE
Actualidade

Associação que representa trabalhadores temporários acusa Governo de estigmatizar setor

31 | 05 | 2020   17.15H

A Associação Portuguesa de Empresas do Setor Privado de Emprego e de Recursos Humanos (APESPE-RH) acusou hoje o primeiro-ministro de estigmatizar os trabalhadores temporários ao anunciar que vai reforçar as medidas de vigilância epidemiológica nas empresas de trabalho temporário.

"Esta é uma questão de saúde pública e a associação colabora com todas as entidades governamentais. A questão que nos preocupa é que o setor do trabalho temporário é um setor que tem vindo a ser discriminado ao longo dos tempos (...). E quando estamos numa fase colaborativa e ouvimos o senhor primeiro-ministro dizer que o foco são os trabalhadores temporários, é grave. O vínculo contratual é o menos importante no meio disto tudo", disse o presidente da APESPE-RH, Afonso Carvalho.

Em declarações á agência Lusa, o responsável criticou as palavras de António Costa que na sexta-feira, no final da reunião de Conselho de Ministros, em que ficaram definidas as medidas para a próxima fase de desconfinamento, que arranca na segunda-feira, disse que o Governo vai reforçar as medidas de vigilância epidemiológica no setor da construção e nas empresas de trabalho temporário para controlar focos de infeção pelo novo coronavírus.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • O governo, como todos os governos é formado por capados e fufas. Apoiado numa matilha de cães-polícias é forte com os fracos e fraco com os fortes. Falar, reclamar, para quê? AGIR!!!!! Agir, tomar o destino nas próprias mãos. Quando o POVO quer, nunca é vencido, mas para isso é preciso querer. Querem?
    Dono dos Burros | 31.05.2020 | 18.34Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE