PUBLICIDADE
Hong Kong

Movimento pró-democracia promete manter luta um ano após protestos

07 | 06 | 2020   09.12H

Hong Kong assinala na terça-feira um ano de protestos pró-democracia, apenas estancados pelo novo coronavírus, num momento em que as velas pelas vítimas de Tiananmen ajudam agora a reacender o movimento.

"Ao ver [na quinta-feira] milhares de cidadãos reunidos no Victoria Park para comemorar o massacre de 04 junho, apesar do aviso policial de que esta seria uma reunião ilegal, podemos prever que as pessoas são corajosas o suficiente para voltar às ruas", conta à Lusa o vice-coordenador da Frente Cívica de Direitos Humanos (FCDH), Eric Lai, organização que representa mais de uma dezena de partidos e organizações não-governamentais e responsável pelos maiores protestos que aconteceram ao longo do ano passado.

Só nos últimos meses houve vários momentos tensos a antecederem a data que marca um ano do início das manifestações.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE