Pobreza

Restaurantes solidários oferecem refeições a famílias necessitadas

16 | 10 | 2009   10.06H

A iniciativa, intitulada Rede de Restaurantes Solidários de Santa Maria da Feira, começou como uma experiência-piloto da autarquia local e envolve agora 12 restaurantes das três freguesias do concelho que se encontram mais próximas das famílias onde esse apoio alimentar se revela prioritário - Feira, Fornos e Paços de Brandão.

Na véspera do Dia Internacional para a Eliminação da Pobreza, que se assinala sábado, Manuela Coelho, chefe da divisão de Acção Social da autarquia, disse à Lusa que o projecto “procura concretizar um dos objectivos do milénio relativos à luta contra a pobreza”.

Adianta ainda que essa é uma necessidade local, na medida em que “há muitas famílias do concelho que estão com problemas complexos ao nível do desemprego e têm muita dificuldade em obter uma alimentação condigna”.

“Em época de crise, o que se compra mais são salsichas, atum, arroz e massa”, observa a responsável, para quem "há pessoas que comem realmente muito mal”.

A Rede Social de Santa Maria da Feira tem vindo a identificar e a apoiar famílias que estão a viver com dificuldades, mas Manuela Coelho sustenta que “ainda é difícil fazer o retrato real da situação [de carência do município], porque há muitos casos da chamada 'pobreza envergonhada' que não são fáceis de abordar”.

“Evitar constrangimentos” é, por isso mesmo, um dos princípios-base da Rede de Restaurantes Solidários.

Manuela Coelho garante que “as pessoas que beneficiam das refeições gratuitas vão ser tratadas como qualquer cliente normal do restaurante e nem sequer serão identificadas à chegada, porque só no final do almoço é que apresentam o 'ticket-refeição' com que ficam isentas de pagar a conta”.

“As pessoas têm a alternativa de levar a refeição para casa em vez de comerem no restaurante”, acrescenta a responsável, “mas, fora isso, vão receber um tratamento perfeitamente normal”.

Para Manuela Coelho, o projecto “é também uma forma de despertar a responsabilidade social da comunidade empresarial - neste caso a do sector da restauração - para o contributo que pode ter no esforço da luta contra a pobreza”.

Nesta primeira fase, a iniciativa conta com 12 restaurantes que “têm demonstrado uma disponibilidade extraordinária para ajudar e fazem-no por pura generosidade, porque deixam claro que não querem publicidade à participação que têm no projecto”.

“Há respeito pelo anonimato”, garante Manuela Coelho, que “não quer expor nem quem beneficia das refeições gratuitas, nem quem as está a oferecer”.

Na etapa seguinte, o objectivo é alargar a rede a outros restaurantes e “tentar envolver no projecto uma instituição particular de solidariedade social que possa disponibilizar um refeitório onde as pessoas que beneficiam destas refeições as possam recolher”, evitando assim deslocações de maior distância.

Destak/Lusa | destak@destak.pt

1 comentário

  • Comentário: É curioso o panorama político actual. O Governo Sócrates na anterior legislatura apenas veio aumentar os impostos, fechar escolas maternidades e outros serviços públicos!. Promover mais desemprego... retirar os mais variados direitos adquiridos ao cidadão e em troca nada deu que possa ser digno de nota, a não ser a possibilidade da mulher aniquilar a vida que transporta no ventre!. Institui como método contraceptivo o aborto, e faz com que a mulher e o seu companheiro estejam descansados dado que podem poupar uns "trocos" em pílulas e preservativos, dado que estes últimos com 21% de I.V.A. são até muito caros e sem qualquer tipo de comparticipação mais vale não os adquirir, que está garantido o aborto!. Como é verdade que um Governo que tudo tira ao cidadão mas que investe em fortíssima propaganda consegue "atirar areia para os olhos dos papalvos"!. Já nos anos 40 do Século passado, Hitler investia na propaganda para deixar as massas adormecidas pela mentira!. Que vantagens se retiram do aborto se continua o desemprego a falta de habitação ... as listas de espera para as cirurgias... etc... etc... A alta inflação a miséria, o problema dos sem abrigo...nada disso interessa o Governo legalizou o homicídio das crianças... em breve chegará até onde...legalizará o homicídio dos idosos?, doentes?, minorias étnicas? portadores de deficiências? ... foi isso que fez na Alemanha esse tirano tenebroso e o Povo "aplaudia esses feitos" entorpecido pela propaganda política!. Quantos homicídios já se praticaram desde a aprovação da Lei?. Que vantagens grandiosas para a sociedade se conquistaram?. Está na hora de acordar e dizer que o "Rei Vai nu"!. Com tanta porcaria que fez o Governo estamos todos preocupados com uma actriz fora de moda de nome Maitê Proença?. A última vez que teve protagonismo foi há mais de 20 anos !
    Mig | 18.10.2009 | 00.45Hdenunciar comentário
    Tem a certeza que pretende denunciar este comentário? sim não
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE