PUBLICIDADE
Actualidade

Tribunal condena a seis anos de prisão efetiva um dos GNR que agrediu imigrantes em Odemira

03 | 07 | 2020   18.10H

O Tribunal de Beja condenou hoje a seis anos de prisão efetiva um dos cinco militares da GNR acusados de sequestro, violação de domicílio e agressões a imigrantes em Odemira, condenando os restantes a penas suspensas.

O acórdão do coletivo de juízes que julgou o caso, lido na audiência final de julgamento que decorreu esta tarde, sentenciou André Ribeiro a um cúmulo jurídico de seis anos de prisão efetiva, assim como a uma pena acessória de três anos e seis meses de proibição de exercício de funções na GNR.

O militar, que o tribunal lembrou que é "mais velho em idade e antiguidade" na força de segurança do que os outros arguidos, os quais "comandou", apesar de estar de folga no dia em que ocorreram os factos que levaram à acusação, foi condenado por dois crimes de ofensas à integridade física qualificada, dois de sequestro e um de violação de domicílio.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE