PUBLICIDADE
Covid-19

Bastonário dos Médicos atribui problemas na gestão da pandemia a falta de meios

07 | 07 | 2020   12.16H

O aumento recente de mortes, contágios e internamentos hospitalares por covid-19 em Portugal deveu-se à falta de meios e a uma menor atenção às regras de segurança pela população, defendeu o bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães.

Em entrevista à agência Lusa, o responsável lamentou que o país não tivesse aproveitado da melhor forma o tempo para acautelar uma situação como aquela que se vive atualmente. Por outro lado, deixou um aviso para os efeitos nefastos que novas falhas no planeamento podem ter face a uma eventual segunda vaga da doença sobre os doentes covid-19, "mas também sobre os doentes não covid-19", que diz estarem a ser esquecidos.

"Para termos isto equilibrado, temos de colocar os meios necessários. Ainda estamos a tempo de colocar as coisas no terreno, porque vamos na primeira fase da pandemia. Se tivermos uma segunda fase no inverno, a nossa capacidade de dar resposta tem de chegar aos doentes covid-19, mas também aos outros doentes. Não se nota já, mas a curto e médio prazo vai começar-se a notar e pode ter um impacto muito maior do que a covid-19", observou.

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE