PUBLICIDADE
Caso EDP

Empresa interveio em avaliações do Credit Suisse e Caixa BI às barragens - Tribunal

07 | 07 | 2020   17.41H

A EDP alegadamente "orientou" a avaliação do Crédit Suisse acerca do valor a pagar pelo prolongamento da concessão de barragens e interveio também junto do Caixa BI, que realizou um estudo semelhante, de acordo com a decisão do Tribunal.

No documento da decisão do Tribunal Central de Instrução Criminal, assinada pelo juiz Carlos Alexandre, em que cita o Ministério Público, lê-se que este alegado ilícito, que terá servido para a empresa pagar um valor inferior por este benefício ao que foi depois calculado, no caso do Crédit Suisse foi em "resultado da conjugação dos arguidos Rui Cartaxo [do gabinete de Manuel Pinho, foi depois para a REN], Manuel Pinho [Ministro da Economia em 2006 e 2007], António Mexia [presidente da EDP] e João Manso Neto [presidente da EDP Renováveis]".

O Tribunal apontou para provas que indiciam que o Crédit Suisse entregou a Rui Cartaxo um "'memorandum' relativo à avaliação da extensão do domínio hídrico, o qual foi apreendido nas buscas à sede da EDP" e que isso alegadamente demonstra que foi a elétrica que "orientou o Crédit Suisse na avaliação do domínio hídrico".

Destak/Lusa | destak@destak.pt
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE